segunda-feira, maio 12, 2008

único poema

Corinna Button - Storm brewing II


no teu corpo é que o poema faz amor,

a dor das casas, o cheiro húmido das pétalas, as flores mais escuras.

quando uma nuvem te atravessa, é que o punhal fere o silêncio,

a morte dança, o mar começa.

no teu corpo é que as palavras carne e água são de carne e água,

os seios bússolas, a noite mágoa.

se uma faúlha acende um poço de carvão, a vontade irrompe o cavalo do sangue.

é a tua pele que abre os olhos da chuva, a mão do vento, o dia claro.

se um beijo desperta a ira dos relâmpagos, a manhã desce ao sal da língua, o tempo pára.

sobre um novelo de palha, os ovos estalam nas estrias delicadas.

troveja fortemente se o céu diz o teu nome.



Alice Macedo Campos – único poema - in "o ciclo menstrual da noite"


9 comentários:

JFDourado disse...

Eu já tenho o meu exemplar...

:)

alice disse...

querido jorge, muito obrigada. fico muito feliz de me ver aqui na tua asa de silêncio. a pintura que escolheste é muito bonita... estou muito sensibilizada. abraço-te *

scaramouche disse...

parabéns.
gostei do que li.
voltarei.
scaramouche.

C. disse...

Muito lindo...

Andreia Ferreira disse...

"O amor é uma casa onde cabem dois corpos e os gestos entre eles". Do meu poema preferido deste livro :) *

JFDourado disse...

O "ideia para um autógrafo". Também gosto muito.

A Alice estava mesmo com a mão quente quando o escreveu...

:D

addiragram disse...

Belo!

isabel mendes ferreira disse...

merecidíssimo Post.




________________!!!

abraço. cordial.

© Piedade Araújo Sol disse...

tambem tenho já o meu...

beij