quarta-feira, junho 16, 2010

Há um toque de fogo


Êtude Tete de Jeune Fille - Adolph William Bouguereau

Há um toque de fogo na tua boca. Um veludo que te roça com minúcia pelo rosto, que te aquece e eriça a pele num desassossego dissoluto. Estás ao alcance da noite, onde fluem sôfregos os deleites, onde refulge o orvalho no teu rasto de luz. Lá fora bruxuleiam sombras e escutam-se sons nocturnos. Tudo o resto adormece. E tu estás só. À janela. Estás só e o olhar, que era teu, há muito partiu na nostalgia de um passado sem futuro. Se ao menos palavras houvessem como líricas trovas de amor. Se ao menos bastasse o requebro da voz, qual preciosa renda envolvendo e ornando o teu mundo...

Há um toque de fogo – Jorge Dourado

14 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

que prosa poética tão bem conseguida!

parabéns!

um beij

Ana disse...

:) para quem dizia que não andava inspirado ;) beijo*

Cria disse...

Impecável, parabéns ! Beijo.

•°o.O. Pintas.O.o°• disse...

;)

moriana disse...

"tudo o resto adormece. e tu estás só."

belissimo ainda que tão real...

alice disse...

ao alcance da noite, jorge. muito bonito. um grande beijinho*

Poetic GIRL disse...

E por vezes não basta mesmo... bjs

Nirvana disse...

Ah!!! Afinal era mesmo preguicite aguda! ;)
Como sempre, muito bonito! :)
Beijinhos

pin gente disse...

belo, muito belo!
um abraço
luísa

Sissi disse...

Poesia maravilhosa! Sensualidade, insinuação instigante, jogo de palavras bem elaborado.

Parabéns!

JFDourado disse...

Obrigado pelos comentários :)

redonda disse...

Gostei

brih disse...

Simplesmente belo!!! belissimo, Jorge...beijos

Filipa Epifânio disse...

Primeiras frases de génio :)