sábado, março 13, 2010

Este lago não existe


Summer Evening on the Beach at Skagen - Peter Severin Kroyer


No pelouro das madrugadas entrego parte da minha ausência. Os percursos vários por onde só sonhos naveguem, por onde só passos leves consigam interiorizar as trevas destas areias escondidas, no raro real de mim, no confuso e díspar silêncio destas horas aqui descritas, devorando com ansiedade as maresias deste lago, onde flutuam os sorrisos dos tempos que me esperam, que busco, os sorrisos a que me dou, levando-me consigo, enriquecendo os membros de todo eu, perfilando-me por estas florestas irreais, por entre as folhagens da vida aqui, as fantasias quase sempre enormes.


in “Este lago não existe” – Vítor Burity da Silva

12 comentários:

Nirvana disse...

Este foi um dos que trouxe para casa depois de ler uma página ou outra, não há muito tempo. (Vês? :))
Nunca tinha lido nada deste autor (para dizer a verdade nem conhecia o nome). Achei piada ao nome, abri umas páginas ao acaso e tive de o trazer.
Beijinhos

JFDourado disse...

Olha, eu conheci o Vítor Burity da Silva nas correntes d'escritas.
Ouvi-o lá a ler um texto que tinha preparado para as correntes e fiquei logo com a sensação de que os seus livros deviam ser interessantes. Depois, por coincidência, encontrei um amigo que tinha justamente acabado de comprar este livro, e que também estava todo entusiasmado a falar dele. Resultado, lá fui eu a correr para a livraria das correntes. Utilizei a técnica que te tinha falado anteriormente ;) e comprei, sem hesitações, este e o outro dele, o "Rua dos anjos". A seguir, sem perder o fôlego, voltei ao auditório para que o Vítor Burity da Silva me assinasse os livros. E consegui! Ele foi muito simpático. Trocamos umas breves palavras e pronto, fiquei com os livros assinados! :D

Beijinhos

Ana disse...

eheh :) a correr, sem perder o fôlego?! faz-me lembrar uma certa vez que alguém fez o mesmo para conseguir uma rubrica do Agualusa ;)*

Cria disse...

Muito bom estar aqui, amigo poeta ! Meu carinho.

Vinte e Quatro disse...

Eu não conheço nem o Vitor nem o livro....e agora também não dá para ir a correr a lado nenhum comprar:)

vinteEquatro

JFDourado disse...

Ana: é verdade!... começam a ganhar contornos de tradição estas minhas corridas literárias... ;D*

JFDourado disse...

Cria: Obrigado. Também já estive no palavreado de cria :)*

JFDourado disse...

vinteEquatro: Não me digas que também queres entrar nesta nova e entusiasmante modalidade olímpica que dá pelo nome de corridas literárias?! ;)*

alice disse...

não conhecia o autor e gostei do excerto. a ilustração é uma maravilha :) beijinhos, jorge*

© Piedade Araújo Sol disse...

não coneço o autor, e gostei muito deste excerto que aqui nos deixas.

vou ter de pesquisar...

um beij

mundo azul disse...

____________________________________


É bonito! Obrigada, por partilhar conosco...

O sono é bom...Nele podemos viver todos os sonhos!


Beijos de luz e o meu carinho"!

________________________________

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Abro os olhos e adormeço

Sem a mente fraquejar

Saio pela manhã

De passagem, coisa vã

Derrapagem

Que a viagem tem princípio, meio e fim
Enquanto vergo, não parto

Enquanto choro, não seco

Enquanto vivo, não corro

À procura do que é certo

Não me venham buzinar

Vou tão bem na minha mão

Então vou para lá

Ver o que dá

Pé atrás na engrenagem

Altruísta até mais não

Enquanto vergo, não parto

Enquanto choro, não seco

Enquanto vivo, não corro

À procura do que é certo

Presa por um fio

Na vertigem do vazio

Que escorrega entre os dedos

Preso em duas mãos

Que o futuro é mais

O presente coerente na razão

Frases feitas são reféns da pulsação

***
So beautiful! Love and Peace*****************
Kiss*****************