domingo, fevereiro 21, 2010

Ideia para um autógrafo


Gustav Klimt - Lady with fan hand

o amor é uma casa onde cabem dois corpos
e os gestos entre eles.
imaginemos que não se pode falar
e coloquemos uma ameixa madura no lugar da boca.
qual dos amantes dará o primeiro beijo?
a noite não tem olhos. um corpo sabe do outro corpo
apenas porque cheira. um corpo não sabe quem é o
outro corpo. são um homem e uma mulher.
mas, no silêncio, só há dedos e línguas.
o toque é a linguagem, a magia de ser vento numa carícia.
e assim conversam os amantes.
imaginemos que podem escrever uma palavra.
têm apenas o corpo um do outro. e, no lugar da boca,
ameixas que sangram beijos. quando as línguas se afastam,
a noite abre os olhos com ternura.
os dedos dele penetram o corpo dela.
no momento em que ele vai escrever
uma palavra no seu interior,
nesse exacto momento em que o amor é um gesto circular,
e a voz apenas um fio, ela sussurra:
escreve o teu nome.

in “O ciclo menstrual da noite” – Alice Macedo Campos

4 comentários:

Vinte e Quatro disse...

Gostei deste...Alice!
Também aprendo contigo!:)

*

vinteEquatro

Berta disse...

que coisa tão bonita! :)

alice disse...

ai ai ai, que até se me doueu o coração... então o menino citou-me? obrigada, obrigada, obrigada!

sabes, raramente abri o meu livro depois da sua publicação, que aconteceu há já quase dois anos... agora, ao ler estas palavras, foi como se saboreasse de novo uma fruta ainda fresca... obrigada, jorge. foi uma grande surpresa!

um grande beijinho*

© Piedade Araújo Sol disse...

uma boa escolha.

a Alice escreve muito bem.

um beij