sábado, dezembro 05, 2009

Vinte e zinco


Oxpecker Head - Theresa Ruth Eichler


Castro olha de si para si: suas pernas estão todas conspurcadas, o matope lhe engomando os movimentos. Pela primeira vez, ele está sujo da mesma matéria com que Irene se manchava. Essa lama que lhe chapeava as pernas, numa pasta cinzenta ao jeito dos elefantes. Parecia envergar África, besuntado dos seus fluidos mais viscerais. Lhe ocorre a lembrança de uma tarde em que o vieram chamar para dar destino a um búfalo que se atolara nos pântanos. O jipe derrapou pelo chão amolecido dos tandos. Súbito, entre as palmeiras lalas, lhe surge a besta, meio afundada na lama. Os cascos pisavam subterrâneas nuvens e as pernas já perdiam função. O bicho dava pena: sob o til da cornadura, os olhos vermelhos como se a terra já assomasse em seu olhar, parecia se descobrir subitamente mortal. Impotente prisioneiro dessa mentira que é haver chão em toda a terra.
O que mais marcou o português não foi a visão desse lento naufrágio. Mas foi o pássaro carraceiro, mais seu bico vermelho. Já o búfalo submergia, inevitável, e a ave ainda se conservava de pouso em seu dorso. Fosse ele o comandante que afundasse junto com o navio.
A lembrança do búfalo lhe chegava agora, como se tudo pesasse e a ave que pousa na curva do horizonte fosse a pique com o mundo. Lhe doía esse simples ensinamento: tudo é terminável, até o futuro.


in “Vinte e zinco” – Mia Couto


6 comentários:

alice disse...

conheço pouco e mal a obra de mia couto, mas este excerto é muito bom... adorei voltar aqui. um beijo.

moriana disse...

Um dia ofereceram-me um livro de Mia Couto, li duas páginas, desisti. Irritei-me com as palavras inventadas...
Nunca mais li nada (e, na verdade, nada li)

:)

Ana disse...

[bom livro este ;)]

JFDourado disse...

Recomendo vivamente Mia Couto :) É um dos meus escritores preferidos. Terra sonâmbula, o outro pé da Sereia, O último voo do flamingo... são todos excelentes livros.

Um beijo, Alice :)

Moriana, tens que lhe dar uma oportunidade :)*

Ana: Não foi dos que gostei mais para ser sincero :)*

Nirvana disse...

Este não conheço. Por um lado, ainda bem porque já estou com pena do búfalo. O pássaro de certeza que bateu asas quando ficou sem chão ;)
Bjks

JFDourado disse...

O livro é omisso quanto ao destino do pássaro :D

Bjs